GACC

Tratamento

Abordagem Multidisciplinar e Individualizada:

O tratamento do câncer infantojuvenil é complexo e exige uma abordagem multidisciplinar, com o envolvimento de diversos profissionais de saúde, como oncologistas pediatras, hematologistas, radioterapeutas, cirurgiões, fisioterapeutas, psicólogos e nutricionistas. Essa equipe trabalha em conjunto para desenvolver um plano de tratamento individualizado para cada paciente, levando em consideração:

  • Tipo de Câncer: As características específicas do tumor, como sua localização, tipo histológico e estadio da doença, determinam as opções de tratamento mais adequadas.
  • Idade do Paciente: A idade da criança ou adolescente é um fator importante na escolha do tratamento, pois os efeitos colaterais podem ser diferentes em cada faixa etária.
  • Necessidades Específicas: O plano de tratamento deve levar em consideração as necessidades físicas, emocionais e sociais de cada paciente.

Modalidades Terapêuticas:

As principais modalidades terapêuticas utilizadas no tratamento do câncer infantojuvenil são:

  • Cirurgia: A remoção do tumor é um componente importante do tratamento para muitos tipos de câncer. A cirurgia pode ser curativa em alguns casos, mas também pode ser utilizada para reduzir o tamanho do tumor antes de outros tratamentos, como a quimioterapia ou a radioterapia.
  • Quimioterapia: A quimioterapia utiliza medicamentos para destruir as células cancerígenas. Pode ser administrada por via oral, intravenosa ou intratecal (no líquido cefalorraquidiano). Os efeitos colaterais da quimioterapia variam de acordo com os medicamentos utilizados, mas podem incluir náuseas, vômitos, fadiga, perda de cabelo e queda de imunidade.
  • Radioterapia: A radioterapia utiliza radiação ionizante para destruir as células cancerígenas. A radiação pode ser aplicada externamente, através de um aparelho chamado acelerador linear, ou internamente, através de implantes radioativos. Os efeitos colaterais da radioterapia variam de acordo com a área do corpo irradiada, mas podem incluir queimaduras na pele, fadiga, náuseas e vômitos.
  • Terapia-alvo: A terapia-alvo utiliza medicamentos que atacam genes ou proteínas específicos que estão envolvidos no crescimento e na multiplicação das células cancerígenas. Essa terapia é mais específica do que a quimioterapia e a radioterapia, o que pode reduzir os efeitos colaterais.
  • Imunoterapia: A imunoterapia estimula o sistema imunológico do próprio paciente a combater o câncer. Essa terapia ainda está em desenvolvimento, mas tem apresentado resultados promissores em alguns tipos de câncer.

Cuidados Paliativos:

Os cuidados paliativos são importantes para aliviar os sintomas do câncer e melhorar a qualidade de vida do paciente. Esses cuidados podem incluir fisioterapia, terapia ocupacional, psicologia, nutrição e cuidados com a dor.

Acompanhamento Pós-tratamento:

Após o término do tratamento, o paciente precisa ser acompanhado regularmente por uma equipe médica para monitorar a sua saúde e detectar qualquer possível recidiva do câncer.